Fonoteca Municipal do PortoFMP

Night Full of Tension

Armando Sousa

Resenha

10 Setembro 2021

Robert Görl
Robert vinha de Munique e Gabi de Espanha. Conheceram-se em Düsseldorf e juntos formaram os Deutsch Amerikanische Freundschaft (D.A.F.), no mesmo ano em que os Kraftwerk lançaram Die Mensch-Maschine. Antes de trocar as margens do Reno pelas do Tamisa, Robert Görl e Gabi Delgado-López já tinham gravado dois LPs, ainda acompanhados pelo resto dos elementos que, depois de deixar os D.A.F., viriam a formar uma autêntica diáspora anti-imperialista contra o “pop anglo-americano”. Robert e Gabi prosseguiram então a sua carreira em Londres, completamente compenetrados na procura de uma linguagem de rutura com as tradições do rock, na linha do que tinha vindo a acontecer no revulsivo contexto da Neue Deutsche Welle. De Alles is gut a Für immer, os D.A.F. criaram músicas com frases inolvidáveis em alemão, elevadas por ritmos que empurravam os corpos a uma dança inevitável.

Um ano depois do cisma de 1983 dos D.A.F., Robert Görl publicou Night Full of Tension. Seguindo a ideia já trabalhada com Gabi Delgado-López durante a preparação daquele que seria o sexto LP da banda, esta estreia do baterista alemão a solo é liricamente apoiada no uso do inglês. Uma mudança que, junto à produção de Mike Hedges (The Cure, Siouxsie & The Banshees e The Associates) e uma aproximação da linguagem britânica no uso dos sintetizadores, procurava uma rutura com alguns dos referentes do seu próprio passado.

Assim, tendo como mostras exemplificativas Playtime e Love in Mind, grande parte de Night Full of Tension é uma expressão do minimal wave que resultara então de uma mutação de veludo em grupos pós-industriais como os Chris & Cosey ou os próprios Cabaret Voltaire.
Noutro registo ligeiramente diferente estão algumas peças como Queen King e sobretudo Charlie Cat e Darling Don’t Leave Me com a participação de Annie Lennox. Nestes dois últimos casos, a presença da cantora ganha tanto peso que pode parecer que caímos por engano num disco dos Eurythmics com Görl como convidado. Fenómeno estranho, não fosse o caso de, anos antes, o álbum In the Garden ter sido produzido pelo mesmo Conny Plank, que produzia os D.A.F., com dois bateristas alemães na sua gravação: Jaki Liebezeit e Robert Görl.

Robert e Gabi diziam que tinham ido para Londres porque era lá que as coisas aconteciam, numa altura em que em Inglaterra todos olhavam para o que os pioneiros alemães faziam. Night Full of Tension é o resultado final dessa cadeia de alteridades.

voltar

Porto.